Infraestrutura

Laboratórios

  • Lablip

Situa-se no andar térreo da Policlínica Piquet Carneiro localizada na Av. Mal. Rondon, 381 – São Francisco Xavier – Rio de Janeiro. Ocupa uma área de 120 m², dos quais 72 m² destina-se a execução dos procedimentos técnicos, 8 m² a triagem de material biológico e 40 m² a área de apoio logístico e administração. A determinação deste padrão, foi tomada em conformidade com as exigências dos órgãos que estabelecem as normas para funcionamento dos Laboratórios Clínicos no Estado do Rio de Janeiro.

O LabLip possui os seguinte setores:

Bioquímica – analisador automático A25 – BioSystems, que realiza dosagem de analitos pelos métodos de turbidimetria, colorimétrico, enzimático e cinético. Contamos também com analisador automático de eletrólitos AVL 9180 – ROCHE que realiza as dosagens de eletrólitos pelo método de eletrodo seletivo.

Hematologia - analisador automático XS1000iSysmex, que determina os parâmetros hematológicos pelo método de impedância. As determinações de hemostasia, são realizadas através do analisador automático de coagulação ACL200 – BioSystems que utiliza o método de nefelometria.

Imuno-hormônios – analisador automático Brio 2 – Radim, que realiza análises qualitativas e quantitativas por método imunoenzimático.

Triagem – para processamento de amostras biológicas e armazenamento em freezer -80ºC.

Sala de estudos – área destinada a atividades acadêmicas, elaboração de laudos, formatação de resultados e planilhas.

Laboratório de Diagnóstico por DNA – Na área do DNA forense, graças ao trabalho empreendido pelo LDD-UERJ, o Estado do Rio de Janeiro é hoje uma exceção no que tange à formação de recursos humanos altamente especializados e à utilização, estimulada pelo Estado, da tecnologia de identificação humana por DNA para dar suporte técnico e científico aos poderes judiciário e executivo. Notabiliza-se o nosso estado por ser o único da federação onde não há espera para se realizar uma perícia genética demandada pela justiça gratuita. No LDD-UERJ, as investigações de vínculos genéticos, paternidade na sua maioria, são realizadas a partir da produção de DNA de amostras biológicas coletadas das partes. A amplificação por PCR de sequências alvo microssatélites do tipo STR (do inglês, Short Tandem Repeat) com primers fluorescentes seguida pela análise através de eletroforese capilar dos produtos de amplificação é realizada para a tipagem de alelos STR e definição do perfil genético de cada um dos indivíduos envolvidos na perícia. No módulo de tipagem de regiões polimórficas do DNA para fins de investigação de relação familiar, o LDD-UERJ conta com quadro de pessoal altamente qualificado constituído por biólogos e biomédicos especializados em genotipagem humana por DNA, sob a liderança de Mestres e Doutores na área. Na seção de identificação e coleta de amostras biológicas, uma psicóloga e técnicos em enfermagem são responsáveis pela identificação, inclusive fotográfica, dos indivíduos envolvidos nas perícias, coleta e rotulação codificada das amostras de sangue/saliva coletadas. Em relação à interface com a Segurança Pública, é sabido que a realização de análises por DNA a partir de tecidos desidratados, ossos, saliva, esperma, pele, bulbo capilar, restos mortais, ?swabs? anais, orais e vaginais, por exemplo, requerem profissionais também expertos em técnicas de extração de DNA desses espécimes biológicos, nos quais o DNA, na maioria dos casos, encontra-se degradado e em quantidade diminuta.

A UERJ através dos recursos obtidos pelos laboratórios de Histocompatibilidade e Criopreservação (HLA-UERJ) e Laboratório de Diagnóstico por DNA (LDD) construiu o prédio Prof Jose Roberto Feresin de Moraes com cerca de 1400m2 que abriga o Mestrado Profissional em Saúde, Medicina Laboratorial e Tecnologia Forense, além dos respectivos laboratórios, do Laboratório de Reparo Tecidual e do Curso de Especialização em Biologia Molecular Humana.

O Programa pode contar com o apoio da Faperj e também parte de recursos do apoio Capes-ProEnsino em Saúde obtido pelo programa de Biologia Humana e Experimental para aquisição de equipamentos para a sala Luciane Faria de Souza Pontes inaugurada em janeiro de 2012. A sala de cerca de 50m2 comporta até 35 pessoas com mesas e cadeiras  está equipada com projetor e computador. Ela vem sendo utilizada para os seminários internos dos laboratórios, disciplinas do mestrado, do curso de especialização em Biologia Molecular Humana e também para as defesas de dissertação ou tese.

Nesse prédio também está localizada uma sala para que os alunos possam estudar e ter acesso a rede de computadores da UERJ, além de sala para a secretaria do curso.

O Pavilhão José Roberto Feresin de Moraes foi contemplado com o pro-Equipamentos CAPES e tem em suas instalações o setor de Citometria de Fluxo e recebemos em agosto de 2104 o equipamento Hiseq 2500 da Illumina. Esta plataforma de sequenciamento será compartilhada pelos programas de pós-graduação do Centro Biomédico da UERJ e oferecida também na modalidade de serviços para outras Instituições e pesquisadores.

  • Laboratório de Radiofarmácia Experimental

Laboratório com aproximadamente 40 m2 apresenta três divisões. Na primeira existe uma plataforma vibratória com base com deslocamento alternado, tipo gangorra e uma balança. Na segunda com bancada e pia, isolada das restantes, é usada para trabalhos experimentais com animais. Na terceira existe uma plataforma vibratória com deslocamento sincrônico de sua base.    Existem trabalhos em andamentos com pacientes do Hospital Universitário Pedro Ernesto da UERJ devidamente aprovados pelo Comitê de Ética (Plataforma Brasil). Desses projetos fazem parte médicos dos Departamentos de Clinica Médica e da Ortopedia.

Pos-graduandos (mestrado e doutorado) realizam seus estudos de pesquisa avaliando o efeito de vibrações geradas em plataforma oscilante/vibratória em diversos protocolos com variação de posição do paciente em relação `a plataforma, da freqüência, da amplitude, tempo de trabalho e tempo de repouso. São avaliados os efeitos no traçado eletromiográfico, na força, na flexibilidade anterior de tronco, na pressão arterial, no equilíbrio, assim como em biomarcadores sanguíneos e da qualidade de vida (questionário).

Recursos de Informática

Com o apoio da Faperj e também parte de recursos da Capes-ProEnsino em Saúde o pavilhão foi dotado de um servidor e dos softwares TreeAge, Captivate, End Note para uso pelos alunos e docentes. Os 7 computadores adquiridos especificamente para as atividades de ensino e para utilização pelos alunos vieram com a instalação do pacote do Office (Word, Excell e Powerpoint), 2 deles contam ainda com o pacote completo com o Access e Outlook.

Todas as salas possuem pontos de rede e em 3 delas estão instaladas rede wifi permitindo que os alunos possam ter acesso durante as disciplinas ou seminários a internet em seus próprios computadores.

Biblioteca

O Centro Biomédico da UERJ dispõe de biblioteca com acesso irrestrito aos periódicos disponibilizados pela CAPES através de convênio, além de possuir acervo físico de numerosos títulos de periódicos na área médica e de recursos recentemente obtidos vem renovando acervo de livros na área de saúde e biomédica. A Bibliografia especifica das ementas das disciplinas podem ser consultadas e pelo menos 2 exemplares de cada livro estão disponíveis aos alunos.